Planos de Aula – Histórias em Quadrinhos

Deixe um comentário

30 de setembro de 2006 por jussaradourado

ROTEIRO DE PLANO DE AULA 31/05/2006

I – IDENTIFICAÇÃO

Colégio Estadual Georgina Soares Nascimento         

Série: 5ª Ensino Fundamental       Dia da Semana: Quarta-feira      Turno: Matutino

Professora: Jussara Assunção Dourado

Disciplina: Língua Portuguesa                          

TEMA: História em Quadrinhos

INTRODUÇÃO: Dinâmica de apresentação – Música “Fico Assim sem você” Claudinho e Buchecha

III – OBJETIVO

·         Criar nos alunos o hábito da leitura, através do contato com histórias em quadrinhos;

·          Mostrar para a criança a importância de saber ler e suas utilidades no dia-dia de cada um;

·          Despertar um ambiente prazeroso para a leitura, onde a própria criança pede e sente vontade de ir para o cantinho;

·          Desenvolvimento de um trabalho de linguagem, que leve o aluno a observar, perceber, descobrir, refletir sobre o mundo, interagir com seu semelhante através do uso funcional da linguagem das histórias em quadrinhos.

IV – CONTEÚDOS

o        História em quadrinhos;

o        Leitura.

V – ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS

o        Leitura individual e em grupo

o        Análise dos diferentes níveis de linguagem;

o        Descrição física e psicológica de personagens;

o        Interpretar as ilustrações de histórias em quadrinhos;

VI- RECURSOS

o        Textos, episcópio, papel ofício, revistas, cola.

VII – A VALIAÇÃO

o        Observação da coerência e seqüência lógica dos fatos.

VIII – REFERÊNCIAS

     CEDRAZ, Antônio Luiz Ramos – Imaginação. Jornalzinho da Turma do Xaxado, 2003

Fico Assim Sem Você

                                                        Claudinho e Buchecha


Avião sem asa, fogueira sem brasa
Sou eu assim sem você
Futebol sem bola. Piu-Piu sem Frajola
Sou eu assim sem você

Por que é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil alto-falantes
Vão poder falar por mim

Amor sem beijinho,
Buchecha sem Claudinho
Sou eu assim sem você
Circo sem palhaço, namoro sem abraço
Sou eu assim sem você

To louco pra te ver chegar
To louco pra te ter nas mãos
Deitar no teu abraço, retomar o pedaço
Que falta no meu coração
Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver
Mas o relógio tá de mal comigo

Neném sem chupeta, Romeu sem Julieta
Sou eu assim sem você
Carro sem estrada, queijo sem goiabada
Sou eu assim sem você

Por que é que tem que ser assim?
Se o meu desejo não tem fim
Eu te quero a todo instante
Nem mil alto-falantes vão poder falar por mim
Eu não existo longe de você
E a solidão é o meu pior castigo
Eu conto as horas pra poder te ver
Mas o relógio tá de mal comigo
Por quê?

ROTEIRO DE PLANO DE AULA 07/06/2006

I – IDENTIFICAÇÃO

Colégio Estadual Georgina Soares Nascimento         

Série: 5ª Ensino Fundamental       Dia da Semana: Quarta-feira      Turno: Matutino

Professora: Jussara Assunção Dourado

Disciplina: Língua Portuguesa                          

TEMA: Histórias em Quadrinhos

INTRODUÇÃO: "Dinâmica das bolas" (Música: Como uma onda – Lulu Santos)

II.  OBJETIVO

o        Proporcionar através da socialização, produções de textos orais junto aos colegas;

o        Utilizar a literatura como recurso para a manifestação artística dos alunos através de pintura ou desenho.

III.  CONTEÚDOS

o        Leitura;

o        Criação.

IV.  ORIENTAÇÕES DIDÁTICAS

o        Técnicas de construção de uma história em quadrinhos;

o        Leitura teórica: Surgimento da historia em quadrinhos;

o        Leitura e manuseio de “gibis”;

o        Produção de história em quadrinhos incentivando as habilidades individuais.

V.  RECURSOS

o        Gibis, papel ofício, cola, lápis de cor, hidrocor.

VI.  A VALIAÇÃO

o        Criação de história em quadrinhos pelos alunos, observando:

o       Assunto e a idéia central são claros?

o       Idéias estão em seqüência lógico-temporal?

o       Título é interessante?

o       Final está relacionado com o desenvolvimento do texto?

o       Texto é criativo?

o       Texto extrapola o real vivido, entrando para o imaginário?

o       Frases são variadas?

VII.  REFERÊNCIAS        

     ZIRALDO - Menino Maluquinho –1980

     SOUZA Maurício de. Turma da Mônica Bidu (59)

     BUELL Marjorie Henserdon.  Luluzinha - 1935

DINÂMICA DAS BOLAS

Objetivo: Cooperação e Socialização

Número de participantes: todo o grupo

Posição: todos de pé

Material: bolas de soprar/música: Como uma onda (Lulu Santos) 

Duração: o tempo que durar a música

Desenvolvimento:

  • O professor distribui uma bola de soprar para cada participante;
  • Pede-se que cada um escreva seu nome, coloque-o dentro da bola enchendo-a logo a seguir;
  • Ao som da música, troca-se bola no ar.
  • Cada participante pega uma bola, estoura e apresenta o colega, cujo nome estava dentro dela.

        MÚSICA – “Como uma onda no mar”

                                        Lulu Santos

Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa, tudo sempre passará
A vida vem em ondas, como um mar
Num indo e vindo infinito
 
Tudo que se vê não é
 Igual ao que a gente viu a um segundo
Tudo muda o tempo todo no mundo
 
Não adianta fugir
Nem mentir pra si mesmo agora
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro sempre
 
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no…
 
Nada do que foi será…

 

HISTÓRIA DA HISTÓRIA EM QUADRINHOS

              Segundo o professor do curso de Comunicação Social do IMES (Centro Universitário Municipal de São Caetano) Roberto Elísio, especialista em quadrinhos, a história das HQ’s está ligada ao surgimento e desenvolvimento da imprensa. "No século 18, na Inglaterra, os jornais ainda não imprimiam fotografias. Então, para ilustrar suas páginas, traziam alguns desenhos. Como isso fazia um grande sucesso entre os leitores, começaram a publicar desenhos em seqüência para contar histórias", explica. Nessa época, obviamente, o material ainda não era conhecido como história em quadrinhos. Porém, como o passar do tempo, os desenhistas foram se aprimorando. Nasceu então o trabalho de criar narrativas seqüenciais.

              Foi no século 19 que o escritor Rudolph Topfer percebeu o futuro da literatura na interação entre imagem e texto. Começou a produzir então desenhos com texto embaixo que contavam uma história. "Isso era vendido em folhas soltas e ficou conhecido como histórias em estampa", explica Elísio. De acordo com ele, às vezes, quando juntava um determinado número de histórias, as folhas eram encartadas num livro.

              No entanto, foram os jornais dos Estados Unidos que fizeram a história em quadrinho se transformar numa expressão artística popular. "Em 1895, os principais donos de cadeias de jornais de Nova York, Joseph Pulitzer e William Randolph Hearst, faziam de tudo para ‘roubar’ os leitores um do outro. Então, passaram a colocar atrativos em seus jornais, como por exemplo os quadrinhos", afirma o professor.

           O primeiro personagem das HQ’s surgiu nessa época, no NY Journal: o Yellow Kid (Menino Amarelo)

About these ads

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: